Das madrugadas

Close close all night
the lovers keep.
They turn together
in their sleep,

close as two pages
in a book
that read each other
in the dark.

Each knows all
the other knows,
learned by heart
from head to toes.

Elizabeth Bishop

É madrugada e passo minhas mãos em você. Sinto sua pele macia, um cheiro que é tão deliciosamente seu e seu sexo quente. Respiro aliviada depois de acordar de um sonho chato, pois sei que durmo ao seu lado. Perto como duas páginas em um livro, tentamos nos decifrar no escuro. Dormindo, nos sabemos. Seus ombros me acolhem e procuram o meu aconchego, meus braços procuram seu corpo. Nosso abraço noturno tem um quê de intimidade. Se me ajeito, você delicadamente me beija a face. Se é você quem se aninha, cuidadosamente lhe dou um beijinho no olho. O beijo que escapa e que tenta seguir seu olhar, na tentativa de saber até onde ele alcança. Mas é madrugada e, no escuro, só nos enxergamos com os olhos fechados. É madrugada, e sua pele macia me acorda só para me lembrar que adormecemos juntas, aninhadas. Agora estamos “de conchinha”: o hálito quente em minha nuca, o abraço apertado, o encaixe perfeito dos corpos – pronto, sei que posso descansar na paz que é te amar. É madrugada e não desejo mais nada, a não ser sentir a mesma emoção de acordar no meio da noite, lembrar que estou ao seu lado, te abraçar de novo e te trazer de volta para o meu lado – ou ir até o seu, te abraçando por trás e imaginando que dali, não fosse o cansaço e o sono que insiste, seria o start perfeito para fazermos amor pelo resto da noite. É madrugada e até a insônia me é aprazível: é com ela que divido a alegria de me deitar olhando para você, que dorme como quem não espera nada mais de uma noite do que apenas um sono reparador. É madrugada, e eu torço para que a noite seja nossa amiga se estenda por horas e horas, porque estar ao seu lado é sempre mais gostoso. É madrugada e, a despeito do escuro, te decorei da cabeça aos pés – já sei o movimento exato para alcançar sua cintura e sentir suas curvas ao deslizar minhas mãos pela sua silhueta que, junto com você, dorme o sono justo e merecido. É madrugada, amor, e o meu último desejo antes que ela finde é poder amanhecer te amando.

Com saudade,

B.